Rogério Ceni escala mal e perde mais uma no comando do São Paulo

A vida de Rogério Ceni no comando do São Paulo não está nada fácil. Na noite desta quarta-feira, jogando na Arena da Baixada, a equipe paulista perdeu do Atlético-PR por 1 a 0 e amargou sua quinta derrota nas nove primeiras rodadas, um recorde negativo na história do clube no Brasileirão de pontos corridos - até então, o recorde era de quatro derrotas nos nove primeiros jogos de 2010 e 2013.

No duelo em Curitiba, Rogério Ceni escalou o seu time mal, mais uma vez. Por mais que tenha afastado o contestado zagueiro Lucão, o treinador insistiu em manter o não menos contestado Cícero entre os titulares, bem como o esquema com três zagueiros, que ainda não surtiu efeito. Tanto que durante o duelo no Paraná, mudou a postura da equipe e deslocou Militão para lateral.

O que mais pesa nas decisões de Ceni à frente do SP são as improvisações, um time sem padrão desde o começo do campeonato. Neste jogo contra o Furacão, o volante Thiago Mendes começou como ala. Com a mudança do equema 3-5-2 para o 4-4-2, foi a vez do zagueiro Militão fazer a lateral-direita. No segundo tempo, na busca desesperada pelo gol de empate, o comandante colocou o atacante Marcinho na lateral.

A entrada de Wellington Nem também desagradou muitos torcedores são-paulinos, que não consideram o atacante útil, sem objetividade e com muitos erros durante os jogos. Como alento, o recém-contratado Denílson entrou bem na partida e deixou uma boa impressão, assim como o peruano Cueva, que aos poucos vem recuperando o futebol que o transformou em um dos pilares do time.

O que talvez explique a dificuldade em organizar a equipe é a inexperiência. Ceni encerrou sua carreira de jogador profissional no fim de 2015 e, em 2016, fez alguns estágios em times da Europa. Foi recontratado apenas um ano após se aposentar. Muito pouco para quem vai assumir um dos maiores e mais vencedores clubes do Brasil. Começar na categoria de base seria uma alternativa mais viável, até para ganhar o cacoete de treinador.

Nos próximos dias, Rogério receberá alguns reforços para tentar escalar melhor o São Paulo e sair da má fase. Estão chegando ao clube o volante Petros, que estava na Espanha, o zagueiro Arboleda, da seleção equatoriana, e o meio-campista argentino Jonatan Gómez, destaque no futebol colombiano.

Relação conturbada com a imprensa

Além de não conseguir montar um time competitivo no Brasileirão, Ceni vem sendo bastante criticado pelo seu relacionamento com a imprensa. Principalmente depois de derrotas do São Paulo, o treinador demonstra uma certa arrogância nas respostas, muitas vezes respostas atravessadas.

Recentemente, no programa "Bem, Amigos", ao ser questionado sobre o fairplay de Rodrigo Caio em lance com o corintiano Jô, ainda durante o Paulistão, Rogério Ceni ironizou na sua resposta. "Talvez o Rodrigo Caio e o Tite sejam pessoas melhores que eu", comentou o são-paulino, citando também o técnico da seleção brasileira, que havia elogiado a atitude do zagueiro tricolor.

Link deste artigo:http://esporte.ig.com.br

Pármenas Alt28,044 Postagens

A estrada é longa e o tempo é curto. Não deixe de fazer nada que queira, mas tenha responsabilidade e maturidade para arcar com as consequências destas ações.

Deixe um comentário